Notícias

Ministro destaca digitalização das empresas do sector


O programa de modernização dos Órgãos de Comunicação Social e das empresas tuteladas do sector preenche como desafios permanentes apontados, hoje, pelo ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Eng. Manuel Homem.
Falando na abertura do I Conselho Consultivo Alargado do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, que decorre no Anfiteatro do ISUTIC, em Luanda, o ministro disse que o programa gizado pela TPA permitirá a migração do sinal para digital e em alta definição e a modernização dos seus estudos e o da RNA a modernização da rede de emissores e dos estúdios de emissão, assim como a melhoria dos serviços da Agência Angolana de Notícias (ANGOP) e dos serviços digitais da Edicões Novembro, dos Correios de Angola e da Angola Telecom.
Sobre esta última decorre um concurso internacional que permitirá a identificação de um parceiro para a exploração da rede básica da fibra óptica metropolitana e nacional com todos os passivos e activos de Backbone.
Perante os Secretários de Estado para as Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Eng. Mário Augusto da Silva Oliveira, e para a Comunicação Social, Dr. Nuno dos Anjos Caldas Albino, Directores Nacionais e outros participantes do sector e convidados, o titular do pelouro ressaltou que a modernização acompanha com a atenção aos recursos humanos, pelo que há necessidade de aumento das capacidades técnico-profissionais e de conhecimento dos trabalhadores. As acções concretas estão em curso para a contínua melhoria das condições sociais e de trabalho dos funcionários, órgãos e empresas públicas tuteladas.
A implementação do qualificador para algumas das empresas do sector que ainda não o tinham feito, a reorganização dos processos e procedimentos de gestão das empresas, a resolução das questões relativas a segurança social, a criação de um fundo social para os funcionários do Ministério, dos Órgãos e Empresas tuteladas constam das acções que estão a ser implementadas.
Sublinhou que a formação contínua dos quadros nas mais distintas áreas constitui uma prioridade. Apontou exemplos concretos dos quadros do Gabinete de Gestão Espacial Nacional que foram destacados entre os 10 melhores engenheiros com menos de 30 anos na indústria espacial africana e a dinamização do Centro de Formação de Jornalistas (CEFOJOR), que tem permitido a capacitação para os diferentes quadros do sector em matérias relacionadas à Comunicação Social.
"Ciente do papel crucial das infra-estruturas de banda larga no presente, mas também no futuro e fruto do intenso trabalho que o Executivo angolano tem vindo a empreender em colaboração com o sector privado, o país conta com mais de 22.000 km de fibra óptica que tem possibilitado a conexão de todas as províncias, o que tem permitido o alcance de mais de 14 milhões de assinantes de telefonia móvel, 7 milhões de utilizadores de Internet e mais de 2 milhões de subscritores de televisão por assinatura.
"Hoje, no domínio das Comunicações Electrónicas, o país conta com uma ligação em fibra óptica para Cabinda e que concretiza igualmente a nossa integração à Rede Única Africana, atravessando a República Democrática do Congo (RDCONGO).
Segundo o ministro, a meta é permitir a conectividade e acesso a banda larga à população em todo o território nacional, a prestação de serviço de qualidade, a implementação e desenvolvimento de novas aplicações, serviços públicos e electrónicos essenciais, visando o crescimento e prosperidade do país, bem como a concretização do objectivo de transformar o nosso país num "hub” de comunicações para a SADC.
No domínio da estratégia espacial nacional, decorre dentro do cronograma estabelecido a construção e colocação em orbita do Projecto "ANGOSAT-2”, um satélite de telecomunicações cujo lançamento em orbita está previsto para o próximo ano.
No domínio da Meteorologia e Geofísica está em curso a melhoria da infra-estrutura do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica com a implementação do seu plano de modernização e instalação de novas estacões automáticas para melhorar e reforçar a previsão do tempo e do maré da Rede de Observação de Superfície e Altitude, combinando necessidade dos recursos hídricos, agricultura e operadores aeronáuticos, o que permitirá fornecer e partilhar dados fiáveis a nível nacional, regional e mundial.
A junção dos dois Ministérios, no caso das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e o de Comunicação Social, remete a todos a um grande desafio o de conseguir uma maior integração e modernização do Sector. Por esta razão, adoptou-se o lema do CCA: "Tecnologias de Informação; Comunicação Social: Melhor Integração, Mais Inovação e Desenvolvimento”.
O Conselho Consultivo tem como objectivo geral, balancear o sector, com foco para aquelas acções que concorreram para a melhoria dos serviços prestados pelos operadores de comunicações electrónicas e de comunicação social, com reflexo directo na vida dos cidadãos e da economia.
No centro das discussões estão matérias essenciais e actuais da actividade do Sector, tais como a expansão das infra-estruturas de comunicação a todo o território, a modernização dos órgãos de informação público, direitos, deveres, regras e conduta, ética e deontologia no exercício da actividade jornalística, entre outras.
Mediatecas cadastram 7.905 utilizadores no país
A Rede de Mediateca de Angola cadastrou 7 mil 905 novos utilizadores e registou 167 mil 340 visitas no último ano. Esta performance foi alcançada no âmbito das atribuições e desenvolvimento de acções do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social voltadas à promoção e capacitação do uso racional e sustentável das TIC. Das nove Mediatecas fixas e seis de proximidade que estão disponíveis em algumas províncias do país, permitem a inclusão digital com acessos à Internet.
Na sua intervenção na abertura do I Conselho Consultivo Alargado do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, que decorre no Anfiteatro do ISUTIC, em Luanda, o ministro Manuel Homem disse que todo o esforço visa a um maior acesso à Internet por via dos pontos públicos, estando em funcionamento no projecto Angola Online um total de 125 pontos de acesso público e gratuito à Internet.
O Conselho Consultivo tem como objectivo geral, balancear o sector, com foco para aquelas acções que concorreram para a melhoria dos serviços prestados pelos operadores de comunicações electrónicas e de comunicação social, com reflexo directo na vida dos cidadãos e da economia.
Em função do contexto actual marcado pela pandemia da COVID-19, o Conselho Consultivo decorre na modalidade presencial e remota.
Participaram no evento os Secretários de Estado para as Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Mário Augusto da Silva Oliveira e para a Comunicação Social, Nuno dos Anjos Caldas Albino, Directores Nacionais e Equiparados, Directores Provinciais, Presidentes dos Conselhos de Administração dos Órgãos tutelados e Directores Gerais, Chefes de Departamentos do Ministério, Associações Profissionais, Quadros do Sector e convidados.
No centro das discussões do I Conselho Consultivo do Conselho estão matérias essenciais e actuais da actividade do Sector, tais como a expansão das infra-estruturas de comunicação a todo o território, a modernização dos órgãos de informação público, direitos, deveres, regras e conduta, ética e deontologia no exercício da actividade jornalística, Pacote Legislativo da Comunicação Social, iniciativas legislativas das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, assim como desafios do sector postal em Angola e de telecomunicações móveis em Angola, entre outras.


Voltar